segunda-feira, 1 de março de 2010

Vince Neil desfila hits do Mötley Crüe em SP


Era a primeira vez que um integrante do conjunto mais bem-sucedido do glam metal californiano dos anos 80 vinha ao país. O grupo tocou na Argentina, em 2008, mas não estendeu a passagem para os países vizinhos. A apresentação que estava marcada para começar às 19h00 só teve início 40 minutos mais tarde.

Após uma sequência do DJ da casa de sucessos oitentistas, como Kiss e AC/DC, e a passagem do filme Pulp Fiction, em que o personagem Jules Winnfield (Samuel L. Jackson) recita o versículo 25:17 do livro de Ezequiel, da Bíblia, Vince sobe ao palco com o primeiro hit do primeiro álbum do Mötley Crüe, Live Wire, de 1981 e aos 50 anos, entregues pela quase nula movimentação de palco e pela barriguinha mais que saliente, emenda outro clássico na sequência, Dr. Feelgood.

Looks That Kill, do disco mais representativo do grupo, Shout at the Devil, é cantada em uníssono, ao que ele emenda Same Ol' Situation e some durante longos minutos em que o trio de instrumentistas aproveitou o descanso de Vince Neil para tocar alguns covers.
A banda que acompanhou o vocalista surpreendeu os presentes. Jeff Blando (guitarra, ex-Slaughter), Dana Strum (baixo, Slaughter) e Zoltan Chaney (bateria) executaram os clássicos do Crüe com perfeição e se mostraram ótimos músicos, tanto na técnica quanto no carisma. Strum não parou um instante de brincar com a platéia e distribuir palhetas. Com Blando assumindo os vocais, o grupo tocou “Whola Lotta Love” e a parte final de “Stairway to Heaven”, do Led Zeppelin, e também a maravilhosa “Heaven and Hell”, do Black Sabbath.

O guitarrista da banda até que vai bem com o microfone, mas o show à parte é do baterista, que faz questão de demonstrar todas as habilidades malabarísticas ao esmurrar o instrumento – toca os pratos com o pé, gira as baquetas o tempo todo, equilibra-as na cabeça e palma da mão. Com Vince Neil de volta ao microfone eles ainda tocaram “Rock and Roll”, também do Led Zeppelin e em seguida outro hit das antigas, Kickstart my Heart, antes do hino do conjunto, Girls Girls Girls. O público foi à loucura. Só faltaram mesmo as garotas no palco…

A grande fatia do público que se veste como se ainda estivesse nos anos 80, com calças de couro, botas de cobra e cabelos armados, ainda ganha Wild Side de bônus e fica esperando inutilmente pelo bis, que não vem. Aproximadamente às 21h45 a cortina do palco se fecha e as luzes se acendem, o público não entendeu bem e parecia não querer acreditar que o show já tinha acabado. Mas era isso mesmo. A primeira apresentação de Vince Neil no Brasil durou apenas uma hora, sem direito ao bis. Mas não se vê um sinal de vaia ao final. Turnê patrocinada, recheio de covers no meio do show, apresentação curta... tudo isso sai com água e no dia seguinte vão poder dizer que assistiram ao show do vocalista de uma das maiores bandas do rock. Dos anos 80. Mas isso também não importa.


Set List

Live Wire
Dr. Feelgood
Piece Of Your Action
Looks That Kill
Don't Go Away Mad (Just Go Away)
Same Ol' Situation
Whole Lotta Love (Led Zeppelin)
Heaven and Hell (Black Sabbath)
Stairway to Heaven (Led Zeppelin)
Rock n' Roll (Led Zeppelin)
Kickstart My Heart
Girls, Girls, Girls
Wild Side





Fonte: R7 e Território da Música

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar do RODZ ONLINE. Não deixe de seguir. Sua visita e comentários mantem o blog vivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...