terça-feira, 6 de abril de 2010

Guns N' Roses - Rio de Janeiro 4 de Abril de 2010


Domingo foi dia de assistir ao Guns n' Roses na Apoteose. E esse post não é somente uma simples resenha do show mas um relato verdadeiro de tudo que vi e senti naquela noite.

Minha aventura começou as 19:30h quando cheguei no local do show. Muita tranquilidade pra entrar apesar da grande quantidade de gente perambulando pela área e uma chuva fina incomodando bastante, o que parecia ser o único problema no que prometia ser uma noite histórica de rock.

Exatamente às 20h, a banda carioca Majestike começou o seu set de 6 músicas e que durou cerca de meia hora. A banda faz um som que parece uma mistura de Pitty com Evanescence. Não entendam isso como uma crítica negativa. Pelo contrário.

De onde eu estava o som parecia que estava um tanto quanto embolado e apesar dos vocais em português da vocalista, Tatiane Rulêz, mal dava pra entender o que ela cantava. Pode-se dizer que o grupo foi bem recebido pelo público. Pelo menos não foram hostilizados como já é costume em se tratando de bandas de abertura. Curti a banda apesar de não conseguir ouvir bem. O destaque foi o cover "Poker Face" da cantora Lady Gaga que encerrou a apresentação e acreditem, ficou muito legal.

Depois do show do Majestike a chuva já tinha ido embora e não voltaria mais para atrapalhar o restante da noite.

As 21h10m foi a vez do ex-vocalista do Skid Row, o lendário Sebastian Bach que fez um show redondinho e durante 1h20m mandou os hits do Skid.

Abrindo de "Slave to the Grind" e passando por "Big Guns", "Piece of Me", "18 and Life", "In a Darkened Room", "Monkey Business", "I Remember You" e "Youth Gone Wild". Além dos clássicos dos tempos de Skid Row, as músicas do seu album solo 'Angel Down' não ficaram de fora, como "Stuck inside", "(Love is) a Bitchslap" e "Back in the Saddle", cover do Aerosmith.

Sebastian está cantando muito e ouso dizer que está em melhor forma que nos anos 90. A banda do cara é muito competente, com destaque para o guitarrista Johnny Chromatic e para o batera Bobby Jarzombeck, que contribuiram muito para que as músicas ganhassem mais peso ao vivo.

Sebastian demonstrou muito carisma e procurou sempre interagir e agradar os fãs cariocas, pra isso, falou bastante português entre as músicas, com sotaque bem carregado, vestiu a camisa da seleção Brasileira e por diversas vezes gritou o nome de Axl Rose e do Guns N Roses.

Um "Happy Birthday" foi cantado pelo público em comemoração ao seu aniversário de 42 anos na véspera do show. Sebastian encerrou seu show as 22h30m e acabou saindo consagrado da Apoteose com a plateia entoando seu apelido por terras brasilis: “Tião! Tião! Tião!”

Antes de comentar sobre o show do Guns, deixa eu esclarecer uma coisa pra vcs antes que alguém venha reclamar... sempre fui fã de Guns N' Roses desde 1990, pouco antes dos caras tocarem no Rock in Rio mas GUNS N' ROSES pra mim foi desde a banda original até a formação com Slash, Duff, Matt Sorum e Gilby Clarke. Axl Rose não criou sozinho 'Sweet Chil O' Mine', 'Paradise City', 'Welcome to The Jungle' e etc. Foi a união de todos esses caras que criaram os clássicos que conheçemos. Hoje, Axl é o dono da marca Guns n' Roses e a banda nada mais é do que um apanhado de músicos contratados pelo vocalista. Mas o "novo" Guns n' Roses eu vou avaliar mais a frente.

Depois do fim do show do Sebastian começou o martírio do público que esperou o FDP do Axl Rose e o cover do Guns N Roses até a 1h da madrugada. É isso mesmo amigos leitores!! Esperamos de 10:30h (horário que terminou o show de Bach) até uma da matina!!!! Eu já esperava pelo atraso mas não custa lembrar que o show foi em uma madrugada de domingo para segunda-feira, onde muitos, inclusive eu, teriam que trabalhar na manhã seguinte. A apresentação prevista inicialmente para às 23:30h , além de começar em um horário pra lá de obsceno terminou às 3h30.

Sem dúvida nós cariocas sofremos duas vezes por causa do Guns N' Roses nas últimas semanas. A primeira foi o cancelamento da apresentação no dia 14 de março. A segunda foi com a espera de duas horas e meia imposta por Axl até o início do show, no mínimo uma falta de respeito com o seu público. E por favor, não me venham dizer que isso é coisa do Rock ou típica de um Rock Star!!! Fui aos shows do Kiss e Iron Maiden, bandas tão consagradas quanto o Guns, e ambos os grupos atrasaram apenas 5 minutos do horário previsto para o início dos seus shows, 9:30h.

Depois da meia noite, já muito irritado com a demora no início do show, o público vaiou muito e agraciou Axl com um repertório variado de xingamentos que iam desde “FDP!” e "Viado" até “Ei, Axl... vai tomar no c...” . Uma boa parte da galera bocejava, outros dormiam e alguns mais revoltados foram embora. Eu oscilei entre os bocejos, vaias, xingamentos e exercícios de alongamento. Aliás os xingamentos foram divertidos e revigorantes pra passar o tempo, já que todos pareciam ter o mesmo sentimento e logo todos xingavam Axl Rose em uníssono.

Assim que a banda entrou no palco ao som de "Chinese Democracy", música que abriu o show, o vocalista Axl Rose enfrentou algumas vaias, copos e garrafas atirados por parte do público ainda revoltado com a espera e ele se mostrou irritado com a recepção inicial.

Inclusive chutou pra fora do palco algumas camisas que lhe foram atiradas de presente por alguns fãs. Cheguei a temer que ele parasse o show em mais um ataque de estrelismo mas felizmente nada pior aconteceu.

Depois de "Chinese democracy", o Guns mandou três músicas do clássico "Appetite for destruction": "Welcome to the jungle", "It's so easy" e "Mr. Brownstone".

A partir daquele momento de histeria coletiva quando os primeiros acordes de 'Welcome' soaram, a banda ganhou os cerca de 30 mil fãs exaustos, que simplesmente deliraram e ficaram absolutamente entregues, mesmo naquele horário escandaloso.

Se mostrando feliz com a boa resposta do público, Axl Rose mostrou disposição, fez seus passos clássicos mas pouco interagiu com a galera. Apenas agradeceu em português ao fim de algumas músicas e se limitou a apresentar os músicos.

Tenho que destacar que o vocalista e dono da marca GNR apesar de seus 48 anos e dos muitos quilos a mais continua com uma boa performance de palco, aproveitando os quatro momentos solo dos outros músicos para descansar.

A voz não é mais a mesma mas não tenho como negar que continua com boa potência. Seu figurino foi um retorno a 1991, com um jeans rasgado e camisas sem manga.

O palco era formado por um telão central bem ao fundo, com mais quatro laterais, sendo que dois de cada lado e um atrás do outro, que a distância dava a impressão de serem cilindros suspensos.

Chegou a hora de falar da banda. Os acompanhantes de Axl, DJ Ashba, Richard Fortus e Bumblefoot (guitarras), Dizzy Reed e Chris Pitman (teclados), Tommy Stinson (baixo) e Frank Ferrer (bateria) são excelentes músicos e se saíram muito bem.

Diria até que melhores do que os membros da formação clássica quando estiveram por aqui no Rock in Rio 2 e em 1992. Isso pq a banda é mais coesa e muito bem ensaiada, (coisa que sabemos que a formação clássica não gostava de fazer) além de estarem afiados pelos mais de 30 shows que já realizaram desde dezembro de 2009, na Ásia, Canadá e América Latina.


Depois de Axl Rose, os três guitarristas são o destaque da banda. Ron Bumblefoot é, sem sombra de dúvida, de longe, o mais técnico. Richard Fortus, integrante desde 2002, tem bastante presença de palco porém faz a maioria das bases. DJ Ashba também esbanja técnica e carisma mas parece que foi contratado exclusivamente pra ser um clone do Slash. As comparações são inevitáveis: O modelo de guitarra Les Paul é o mesmo, além de um chapeuzinho e cigarro no canto da boca, marcas registradas de Slash. Inclusive faz as poses típicas de Slash, fazendo também o papel de fiel escudeiro de Axl durante o show.

Aliás, o show em si foi foda. Muitos clássicos bem tocados e beirando a perfeição, extremamente fiéis as versões originais, explosões, fogos, efeitos visuais e tudo mais que se pode esperar de um grande espetáculo de rock. Minha ressalva seria em relação ao set list, mas aí é uma questão de gosto mesmo. Apesar de só do CD 'Appetite For Destruction', de 1987, terem sido tocadas sete músicas, as faixas novas como 'Sorry', 'This I Love' e 'Madagascar' poderiam ficar de fora.

Falando nisso, o repertório do show distribuído pela assessoria de imprensa foi só para constar, já que não foi seguido nem de longe. Sete músicas não foram tocadas e uma foi adicionada, justamente um cover de “Whole Lotta Rosie” , clássico do AC/DC. E diga-se de passagem, cover foi o que não faltou. Além do AC/Dc tivemos “Live and Let Die” , “Knockin’ on Heaven’s Door” , “Another Brick in The Wall Part 2”, o tema da "Pantera Cor-de-Rosa” e o de "James Bond".

Por volta das 3:15h , enquanto a banda tocava “Patience”, a penúltima do bis, parte dos fãs já deixava a Apoteose. Pra fechar a noite, ganhamos uma versão instrumental da guitarra de Ron Bumblefoot, do hino nacional Brasileiro.

Apesar de tirar do sério muita gente com seu atraso, Axl Rose e seu Guns N' Roses Cover fez um bom show. Depois foi correr pra pegar um táxi e voltar pra casa as 3:30h da madruga, tirar um cochilo e trabalhar na segunda. Ah, só pra constar... nem mesmo a assessoria da produtora Time 4 Fun esperou o final da apresentação para trancar a sala de imprensa e meter o pé.
Paciência tem limite, né?

É isso aí, galera, espero que tenham curtido.

Confiram os videos do evento:















Set list Sebastian Bach:

1. Slave to the Grind
2. Back In The Saddle
3. Big Guns
4. Here I Am
5. Piece of Me
6. (Love Is) A Bitchslap
7. Stuck Inside
8. 18 And Life
9. American Metalhead
10. Monkey Business
11. You Don't Understand
12. Tunnel Vision
13. In A Darkned Room
14. I Remember You
15. Youth Gone Wild



Set list Guns N' Roses:

1. Chinese Democracy
2. Welcome to The Jungle
3. Its So Easy
4. Mr Brownstone
5. Sorry
6. Better
7. James Bond Theme - Solo do guitarrista Richard Fortus
8. Live and Let Die
9. This I Love
10. Rocket Queen
11. Solo do tecladista Dizzy Reed
12. Street of Dreams
13. You Could Be Mine
14. Solo do guitarrista DJ Ashba
15. Sweet Child O Mine
16. Another Brick in the Wall
17. November Rain
18. Pink Panther - Solo do guitarrista Bumblefoot
19. Knockin On Heavens Door
20. Night Train

Bis:
21. Madagascar
22. Whole Lotta Rosie
23. Patience
24. Paradise City
25. Hino do Brasil (pelo guitarrista Bumblefoot)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar do RODZ ONLINE. Não deixe de seguir. Sua visita e comentários mantem o blog vivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...