sábado, 27 de novembro de 2010

Twisted Sister Faz Show Hoje em São Paulo

Um dos ícones do hard rock oitentista , a banda TWISTED SISTER está de volta ao Brasil e faz hoje mais uma apresentação em São Paulo. Para animar a festa glam, a abertura do show vai ficar por conta da banda "Salário Mínimo".



A banda tem hoje a formação original, com Dee Snider no vocal, Mark Animal Mendoza no baixo, AJ Pero na bateria, Eddie Ojeda e Jay Jay French nas guitarras, que se consagraram com os hits do álbum "Stay Hungry" --"We're Not Gonna Take It" e "I Wanna Rock".

Na véspera do show de Curitiba (25 de novembro), os guitarristas Jay Jay French e Eddie Ojeda, aproveitaram para conceder uma entrevista bem humorada a radio 91 Rock e alguns jornalistas convidados.

Por que demoraram tanto para vir ao Brasil?

Jay Jay: Para que uma banda vá tocar em determinado país é preciso que haja um acordo entre produtores e gravadora e, no nosso caso, esse acordo nunca aconteceu. Nós chegamos a tocar em 20 países após o lançamento de Stay Hungry (1984) e obtivemos certificados de platina em oito deles, só que ficamos na estrada durante um ano e meio e depois disso, só queríamos saber de voltar para a casa. Esperávamos ir ao Brasil na turnê do disco seguinte, Come Out and Play (1985), mas ele não fez tanto sucesso. Na época, nem os produtores nem a gravadora quiseram investir em uma turnê longa.

A primeira vez que a banda veio ao Brasil foi no ano passado, quando fez uma única apresentação em São Paulo. Como foi?

Jay Jay: Foi inacreditável! Posso dizer que foi um dos melhores shows de nossa carreira. Nós quase choramos! Depois de tanto tempo de rock, poucas coisas são capazes de nos surpreender, mas em São Paulo ficamos abismados com a quantidade de jovens de 21 anos que estavam na plateia. Pessoas que ainda nem haviam nascido na época em que lançamos Stay Hungry! Como performer, ao mesmo tempo que isso faz com que você se sinta muito bem, é uma grande responsabilidade. Para esses garotos, você tem uma reputação a zelar, então é bom fazer a coisa direito!


Como o Twisted Sister conseguiu renovar seus fãs?

Jay Jay: Durante 25 anos tocamos nos maiores festivais do mundo e sempre estamos com o mesmo ânimo da primeira vez. Quando se faz bons shows em diversos lugares você agrada pessoas, independente, da idade e pode ter retorno durante muitos anos.

Eddie: Por ser a segunda vez que estamos no Brasil sentimos a mesma atmosfera e empolgação do início de carreira. Utilizamos o mesmo ritual de 25 anos atrás. É uma renovação de público para nós.



O disco “Stay Hungry” se tornou um trabalho clássico da década de 80. Qual avaliação vocês fazem do álbum?

Eddie: O disco foi composto e gravado em Nova Iorque e terminado na Califórnia. Quando você grava um disco não dá para saber o que pode acontecer. É um prazer ter composto músicas para este álbum, que se tornaram clássicos como "We're Not Gonna Take It" - usada como tema do exército norte-americano. "I Wanna Rock' serviu como trilha sonora em diversos filmes. São canções que se tornaram clássicos. Quando compusemos não pensavámos onde as músicas poderiam chegar.

Jay Jay: O disco na época foi multiplatina em nove países, mas do lado oposto os videoclipes foram responsáveis por determinar a nossa imagem. Não transmitia necessariamente o que pensamos. Quando subimos no palco tentamos provar para as pessoas que não somos só o que aparece na TV. Não queremos mostrar só imagem. Por isso levamos a sério o trabalho em cima do palco. Temos sempre o desafio de mostrar que a música é a prioridade. Ter muito sucesso pode ser ruim por causa da questão da imagem.


Vocês participaram de uma geração que veio depois do Black Sabbath, Led Zeppelin, Jimi Hendrix e outros importantes nomes. Quem são seus heróis?

Eddie: Começamos fazendo covers de David Bowie, Jimi Hendrix, Queen, Cream e outras grandes bandas.

Jay Jay: Beatles e Rolling Stones me influenciaram, mas os meus heróis não são os músicos. São as pessoas que tentam mudar o mundo. Tenho uma filha com doença crônica que tem que combater todos os dias. Meu grande herói atualmente é o médico de minha filha. Os heróis do mundo são as pessoas que tentam mudá-lo.




SERVIÇO:
Via Funchal
Data: 27 de novembro (sábado)
Horário: 22h
Abertura da casa:20h
Local: Rua Funchal, 65 - Vila Olímpia, São Paulo, SP.
Tel.: 0/xx/11/2198-7718.

Pista Premium (em pé) - R$200,00
Pista - R$ 140,00
Mezanino - R$ 200,00
Camarote - R$ 250,00

Cartões de crédito: Diners, Mastercard e Visa. Acesso a deficientes. Ar-condicionado. Estacionamento com manobrista: R$ 25 e R$ 30. Não recomendado para menores de 12 anos. www.viafunchal.com.br

Eu não sou fanático pela banda mas curto muito o "Stay Hungry". Bom show para aqueles que estarão lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar do RODZ ONLINE. Não deixe de seguir. Sua visita e comentários mantem o blog vivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...