sexta-feira, 30 de julho de 2010

Os 10 Filmes com as Reviravoltas Mais Chocantes


O jornal britânico The Independent promoveu uma polêmica lista elegendo os 10 filmes com as reviravoltas mais chocante de todos os tempos. E o grande vencedor foi o clássico "O Sexto Sentido", de M.Night Shyamalan, estrelado por Bruce Willis. Aquele do garoto que vê "dead people" ("gente morta").

Eu penso que a lista é no mínimo interessante mais ainda não parei pra pensar em outros filmes. No momento, o único filme que não está na lista e me veio a cabeça de cara foi o "Confidence". Se alguém for lembrando de outros, não esqueçam de comentar.

Veja abaixo a lista com as 10 reviravoltas mais espantosas do cinema (ATENÇÃO: contém spoilers).

1 - "O Sexto Sentido" - O personagem de Bruce Willis, que passa o filme duvidando que o personagem de Haley Joel Osment via gente morta, descobre que ele mesmo está morto.

2 - "Psicose" - No clássico de Alfred Hitchcock, o pacato Norman Bates, na verdade, era o assassino que se vestia como a própria mãe.

3 - "Os Suspeitos" - O suspeito 'Verbal', vivido por Kevin Spacey, era o próprio vilão Keyser Soze.



4 - "Star Wars - O Império Contra-Ataca" - Luke Skywalker descobre que o vilão Darth Vader é seu pai.

5 - "Jogos Mortais" - O psicopata Jigsaw estava se fingindo de morto o tempo todo.

6 - "Clube da Luta" - O desajustado Tyler Durden (Brad Pitt), no fim das contas, só existia na cabeça do perturbado personagem de Edward Norton.

7 - O Homem de Palha" - O sargento Howie (Edward Woodward) descobre que foi atraído para uma sacrifício.

8 - "Os Outros" - A personagem de Nicole Kidman, seus filhos e os empregados eram, na verdade, as almas penadas da casa.



9 - "Se7en" - O vilão John Doe, vivido por Kevin Spacey, cria uma trama de assassinatos bizarros mas seu desejo mesmo é forçar a própria morte.

10 - "Planeta dos Macacos" - Charlton Heston fica chocado ao descobrir que o planeta onde caíra, na verdade, era a Terra em um futuro devastado.



Fonte

segunda-feira, 26 de julho de 2010

CALA BOCA SYLVESTER STALLONE


Depois da merda que o Stallone falou, mesmo atrasado eu não poderia deixar essa passar impune... Vamos aos fatos:

Stallone, também conhecido como Sly nos seus áureos tempos de Rocky Balboa, participou da feira de cultura pop Comic-Con, em San Diego e instigado pelo moderador do evento, Harry Knowles, do site Ain't It Cool News, fez piadinhas de mau gosto com o Brasil, além de ter demonstrado descontentamento com as filmagens no Rio de Janeiro.

"Gravar no Brasil foi bom, pois pudemos matar pessoas, explodir tudo e eles (os brasileiros) dizem obrigado. Obrigado, e tome aqui um macaco para levar para casa! Explodimos vários prédios, todos ficaram felizes e ainda trouxeram cachorros-quentes para aproveitar o fogo."

Mas não foi só isso não, meus amigos. Semana passada, durante uma entrevista, Sly deu a entender que teve muitos problemas com a equipe de filmagem brasileira (aproximadamente 65 pessoas) e transformou a violência local em piada ao mencionar que foi necessário um grupo de 70 seguranças para garantir o bem estar de sua equipe particular.

Não satisfeito, comentou o símbolo do B.O.P.E (Batalhão de Operações Policiais Especiais): "Os policiais de lá usam camisetas com uma caveira, duas armas e uma adaga cravada no centro; já imaginou se os policiais de Los Angeles usassem isso? Já mostra o quão problemático é aquele lugar".

Não tem legendas mas as asneiras proferidas por Sly, são em torno dos 2 min:



Resultado: Revolta dos brasileiros que iniciaram uma forte campanha na internet contra Stallone que está no topo da lista dos assuntos mais comentados no Twitter. A maioria das mensagens tem tom irado e muitos se mobilizam para boicotar o filme "The Expendables".

No dia seguinte da merda feita e do circo armado, a assessoria de imprensa F&M ProCultura, que cuida da divulgação do filme Os Mercenários no Brasil enviou um email com um pedido de desculpa assinado por Sly. A assessoria chamou de "mal entendido" a bobagem cometida pelo ator. Confiram o conteúdo logo abaixo:

"Eu me desculpo sinceramente com o povo brasileiro e com a equipe de filmagem. Todas as minhas experiências no Brasil foram fantásticas e eu disse a meus amigos para filmarem lá. Ontem, eu estava tentando fazer uma graça e ela não saiu à altura. Não tenho nada mais do que respeito pelo grande país que é o Brasil. De novo, me desculpo. Amor, Sly".

Agora é tarde, Stallone, vc vem aqui no nosso país, é bem tratado, os babacas babam o seu ovo e vc abre a boca pra falar da gente??? Só quem pode falar mal do Brasil somos nós!!! Sem contar que o mercado brasileiro sempre foi um dos mais rentáveis para os filmes do Sr. Sly.
O Rodz Online apoia a campanha: CALA BOCA SYLVESTER STALLONE!!!
Se vc tb apoia essa campanha não deixe de comentar!!!

CALA BOCA SYLVESTER STALLONE is a brazilian campaign to protest the actor Sylvester Stallone, for trying to denigrate the image of Brazil.

domingo, 25 de julho de 2010

Black Sabbath - Encerrada Ação Judicial pelo Nome


Depois dizem que dinheiro não corrompe o homem... Não dá pra entender esses caras. São famosos e milionários, se conhecem ha mais de 40 anos mas vivem de picuinha. Ozzy entrou com um processo contra Iommi em maio de 2009, alegando que Iommi tinha tomado posse exclusiva de forma ilegal do nome da banda e fez o registro no U.S. Patent and Trademark Office. Ozzy exigia 50% da marca BLACK SABBATH, além de uma fatia dos lucros pelo uso do nome.

O tribunal federal de Manhattan tinha dado um parecer favorável a Ozzy quando declarou que os vocais de Ozzy eram em grande parte responsáveis pelo extraordinário sucesso da banda, notando que a popularidade do Sabbath caiu durante a ausência de Ozzy no período de 1980 a 1996.

Depois da briga na justiça, Ozzy Osbourne e Tony Iommi, resolveram suas pendengas e encerraram a ação entre ambos sobre o uso do nome Black Sabbath. Parece que agora tudo está bem entre eles.



Osbourne e Iommi emitiram a seguinte declaração conjunta sobre o assunto: "Ozzy Osbourne e Tony Iommi, da lendária banda de heavy metal Black Sabbath, resolveram seus problemas de forma amigável sobre a propriedade do nome Black Sabbath e o processo judicial em Nova York foi descontinuado. Ambas as partes estão contentes de deixar isso para trás e cooperar para o futuro, deixando claro que essa questão nunca foi pessoal, foram sempre negócios. "

A formação original do Black Sabbath, Ozzy Osbourne, Tony Iommi, o baixista Geezer Butler e o baterista Bill Ward não fazem uma turnê juntos desde o verão de 2005 e a última convocação para a sua inclusão no Rock And Roll Hall Of Fame, foi no início de 2006.


Iommi disse em entrevista ao jornal Sunday Mercury, que uma outra reunião com Ozzy não está descarta depois da morte de Ronnie James Dio, em maio, com quem Iommi trabalhava na banda Heaven & Hell. "Eu falei com Ozzy, enquanto eu estava em Los Angeles após funeral de Ronnie... Ozzy e eu temos um relacionamento complicado, mas nós sempre estivemos em contato, não importa o que estivesse acontecendo. Eu tocaria com Ozzy novamente? Quem sabe? É estranha essa relação minha com o Ozzy. Pode acontecer todo tipo de merda mas nós continuamos a nos falar, como se nada de ruim tivesse acontecido.

Já Ozzy, quando questionado se havia uma nova chance de reunião com Black Sabbath original, declarou: "Bem, eu nunca digo nunca. Quer dizer, eu tenho algumas idéias, mas vamos ver o que acontece, você sabe. Nós tentamos fazer outro álbum, mas todos nós mudamos muito e - se não fizermos um álbum que arrebente como o a última coisa que fizemos juntos, então isso vai ser encarado como uma brincadeira, você sabe".

O grupo tentou gravar um album em 1999, o primeiro desde 1978, mas acabou abandonando a tentativa e registrou apenas 2 novas canções inéditas,"Psycho Man" e "Selling My Soul"que entraram como bonus no album ao vivo "Reunion". Se quiserem se reunir só para uma tour e dar uma passadinha pelo Brasil, ninguém vai se importar e eu estarei lá, com certeza.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Kick-Ass - Quebrando Tudo


O filme Kick-Ass é baseado na graphic novel de Mark Millar e John Romita Jr. , onde cidadãos comuns se fantasiam e resolvem fazer justiça com as próprias mãos no combate ao crime, se tornando super-heróis sem poderes.

Lendo o primeiro parágrafo parece mais um filme bobinho de adolescente mas a diferença de Kick-Ass pra outro filme de herói é justamente por ser mais violento e por conter cenas pesadas envolvendo adolescentes e até crianças sem ser moralmente repulsivo.

A trama gira em torno do protagonista Dave (Aaron Johnson), um típico adolescente nerd que não faz sucesso com as meninas da escola e acaba criando um alter-ego com o oposto da sua personalidade, o super-herói Kick-Ass. Paralelamente, o ex-policial Damon Macready (Nicolas Cage) se ocupa do treinamento de sua filha de 11 anos, Mindy (Chloe Moretz) e a dupla atua como os heróis "Big Daddy" e "Hit Girl", determinados a se vingar do mafioso Frank D'Aminco (Mark Strong).



Tudo parece funcionar em Kick-Ass. Elenco competente, roteiro bem amarrado, personagens bem explorados e fotografia cativante. Falando no elenco, Nicolas Cage e a pequena Chloe Moretz, mesmo não sendo os protagonistas roubam a cena. Ainda que a idéia de treinar a filha de apenas 11 anos pra combater criminosos nas ruas seja absurda, aos poucos percebemos que o personagem de Cage realmente se preocupa com a jovem Mindy, que é na verdade uma máquina de matar bandidos.

Já o protagonista Aaron Johnson e seu Dave vai fazer muito adolescente se identificar com seu cotidiano, com suas inseguranças e sonhos de se tornar um cara popular. A diferença é que Dave, mesmo sem nenhum treinamento, vai a luta e apanha um bocado antes de conseguir conquistar seus sonhos.

A direção de Matthew Vaughn conseguiu fazer de Kick-Ass um bom filme-pipoca. O filme é violento e divertido ao mesmo tempo, com uma narrativa bem empregada, fazendo uma ligação dinâmica com o mundo dos quadrinhos.

Recomendo!

Pra quem já assistiu, comentem!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

20 Músicas para se Ouvir no Ipod - Pantera


Dando sequência a série "20 músicas pra se ouvir no Ipod", sempre com 20 músicas escolhidas pra quem não conhece muito das bandas em destaque e quer fazer um apanhado com as faixas mais populares e grandes hits e singles de cada uma.


Seguem 20 músicas de uma banda que revolucionou o Heavy Metal nos anos 90 enquanto muitas outras entraram em decadência. Com vcs: Pantera (Fase Glam ficou de fora ok?)


1-Cowboys From Hell (Cowboys From Hell)
2-Primal Concrete Sledge (Cowboys From Hell)
3-Psycho Holiday (Cowboys From Hell)
4-Cemetery Gates (Cowboys From Hell)
5-Domination (Cowboys From Hell)
6-Mouth For War (Vulgar Display Of Power)
7-A New Level (Vulgar Display Of Power)
8-Walk (Vulgar Display Of Power)
9-Fucking Hostile (Vulgar Display Of Power)
10-This Love (Vulgar Display Of Power)
11-Strength Beyond Strength (Far Beyond Driven)
12-Becoming (Far Beyond Driven)
13-5 Minutes Alone (Far Beyond Driven)
14-I’m Broken (Far Beyond Driven)
15-Slaughtered (Far Beyond Driven)
16-Revolution Is My Name (Reinventing The Steel)
17-I’ll Cast A Shadow (Reinventing The Steel)
18-Goddamn Electric (Reinventing The Steel)
19-Drag The Waters (The Great Southern Trendkillers)
20-I Can’t Hide (Official Live - 101 Proof)







segunda-feira, 19 de julho de 2010

Big Four - Sonisphere Sofia, Bulgaria


Conforme prometido, seguem minhas considerações sobre a transmissão dos shows da 'The Big Four Tour' que rolaram no dia 22 de Junho, na cidade de Sofia, Bulgária. Depois de muitos boatos, o sonho se tornou realidade e a reunião desses 4 monstros do thrash no mesmo palco é um marco na história do heavy metal.

Graças à tecnologia moderna, com apenas 2 horas de diferença (na Europa), milhões de fanáticos ao redor do mundo puderam assistir nos cinemas a transmissão via satélite do festival Sonisphere que reuniu as quatro bandas.

É verdade, a transmissão não mostrou os shows na íntegra e algumas músicas acabaram cortadas mas nada que tenha atrapalhado a apreciação do evento. Porém, sem mais enrolação, vamos falar sobre os shows em si...



ANTHRAX

Primeira atração do dia, o Anthrax iniciou a noite inesquecível com muita disposição e com o clássico "Caught in a Mosh", emendada por "Got the Time". Após as idas e vindas do vocalista John Bush, o lendário Joey Belladona, está de volta ao vocal dos nova-iorquinos depois de 13 anos e pelo que demonstrou no palco, não perdeu a velha forma. O Anthrax acabou me surpreendendo pela energia e acabou fazendo um ótimo show, acertando na escolha do set. Diria até que em termos de energia, o Anthrax foi quem melhor traduziu o sentimento na performance de palco. Vale mencionar que o Anthrax fez uma homenagem ao falecido cantor Ronnie James Dio, tocando um trecho de "Heaven and Hell" do Black Sabbath, que aliás, foi cantada em uníssono pelo público.



Caught in a Mosh
Got the Time
Madhouse
Be All, End All *
Antisocial
Indians/Heaven and Hell
Medusa *
Only *
Metal Thrashing Mad
I Am The Law

* Cortada da transmissão via satélite

Anthrax -Indians/Heaven & Hell




MEGADETH

Segunda banda a se apresentar, o Megadeth, liderado pelo polêmico e genial Dave Mustaine, entrou de sola com os clássicos "Holy Wars" e "Hangar 18" , no entanto, possivelmente pelo tempo mais curto disponível para sua apresentação, o show não foi calcado na tour de celebração de 20 anos do aclamado álbum “Rust in Peace”. O Megadeth usou seu set para enlouquecer os fãs com 12 clássicos, sendo que as músicas "A Tout Le Monde" e "Trust" ficaram de fora da transmissão. Desnecessário falar da competência de todos os músicos e da execução magistral das músicas. No fim do show, depois de executar "Peace Sells" e "Holy wars Reprise", Mustaine bastante emocionado explicou o quanto aquela reunião significava pra ele e agradeceu às milhares de pessoas que acompanhavam o festival pelo mundo, assim como o público presente na Bulgária. Como fã da banda, eu tenho que resaltar que o show foi impecável.



Holy Wars... the Punishment Due
Hangar 18
Wake Up Dead
Headcrusher
In My Darkest Hour
Skin O' My Teeth
A Tout Le Monde *
Hook In Mouth
Trust *
Sweating Bullets
Symphony Of Destruction
Peace Sells/Holy Wars reprise

* Cortada da transmissão via satélite

Megadeth - Skin O' My Teeth



SLAYER

Chega a vez do Slayer que inicia seu show com a nova "World Painted Blood", faixa título do mais novo CD de estúdio da banda. Os clássicos vão se sucedendo: "War Ensemble", "Seasons in the Abyss", "Angel of Death". Tom Araya evitava os movimentos bruscos por conta de sua recente cirurgia nas costas mas em compensação, Kerry King e Dave Lombardo não se continham no 'headbanging'. Apesar da linha de frente do Slayer estar alguns quilos acima do peso, musicalmente a banda está em sua melhor forma. O hino "Raining Blood", foi a última música do set e não deixou dúvidas no 'estrago' que o Slayer costuma causar em suas apresentações. Não rolou muita interação da banda com o público, Tom Araya falou pouco, mas nem por isso o show deixou de ser animal.



World Painted Blood
Jihad
War Ensemble
Hate Worldwide *
Seasons in the Abyss
Angel of Death
Beauty Through Order *
Disciple
Mandatory Suicide
Chemical Warfare *
South of Heaven
Raining Blood

* Cortada da transmissão via satélite

Slayer - War Ensemble



DIO

Antes do show do Metallica foi exibida uma entrevista, primeiro com Kerry King sozinho e depois com Scott Ian, Lars Ulrich e Mustaine lado a lado, falando a respeito do magistral Ronnie James Dio. Todos rasgaram elogios e lamentaram a morte de Dio, vítima de um câncer, no dia 16 de maio de 2010.



METALLICA

"Creeping Death" abre o show do Metallica e na seqüência, mais uma do segundo album, "For whom the Bell Tolls". Quem já conhece e curte o Metallica, sabe que os caras são uma das maiores banda de metal de todos os tempos e que cada show é um espetáculo único. É simplesmente clássico seguido de clássico, "Fade to Black", "One", "Master Of Puppets", "Nothing Else Matters", "Enter Sandman". O público não tem descanso.

Depois de 15 porradas (9 na transmissão), chega a hora do momento mágico!!! Na volta para o bis, James chama ao palco os membros das outras bandas para tocarem "Am I Evil", do Diamond Head. A confraternização generalizada no palco, chega ao seu ápice quando as mágoas, vaidades e rivalidades são postas de lado e Dave Mustaine se abraça com os demais membros do Metallica. A música em si não é lá grandes coisas, mas ver os caras todos juntos no palco é realmente emocionante. Cada vocalista canta uma estrofe e todos tocam extasiados seus instrumentos. No fim da música, mais confraternização.

Pra fechar com chave de ouro, "Hit The Lights" e "Seek and Destroy", relembrando o clássico "Kill'em All". O sentimento que fica após essa epopéia do metal é de satisfação e que um novo capítulo na história do metal foi escrito em 22 de Junho de 2010.



Creeping Death
For Whom The Bell Tolls
Fuel *
Harvester Of Sorrow
Fade To Black
That Was Just Your Life *
Cyanide
Sad But True *
Welcome Home (Sanitarium) *
All Nightmare Long *
One
Master Of Puppets
Blackened *
Nothing Else Matters
Enter Sandman
- - - - - - - -
Am I Evil? (com o Big Four)
Hit The Lights
Seek and Destroy

* Cortada da transmissão via satélite


Metallica - Seek and Destroy


Big Four - Am I Evil?

sábado, 17 de julho de 2010

À Prova de Morte - Death Proof


Eu não gosto de perder tempo pra falar mal de algum filme mas quando o assunto é Quentin Tarantino, vou conceder uma exceção. Com três anos de atraso, sabe-se lá pq, "À Prova de Morte" (Death Proof) chega oficialmente aos cinemas brasileiros (Embora eu lembre que, na época, esteve em cartaz no Cinemark Botafogo por menos de 2 semanas).

O filme foi lançado originalmente em 2007, junto com "Planet Terror" de Robert Rodriguez e fazia parte do projeto "Grindhouse", homenagem aos cinemas poeira dos anos 70, que costumavam exibir filmes trash. O projeto não deu muito certo e os filmes acabaram ganhando versões extendidas e sendo exibidos separados.

Apesar de Tarantino ter criado obras do calibre de "Cães de Aluguel", "Pulp Fiction", "Kill Bill" e "Jackie Brown" e ter uma brilhante reputação, tanto artística quanto comercial, seu "À Prova de Morte" é ruim e deixa MUITO a desejar.

Tarantino fez uso de todo o arsenal que se tornou sua marca registrada como as cenas de violência e sangue, mulheres gostosas, close nos pés femininos, diálogos extensos e referências a cultura pop, além de ter um elenco de peso em suas mãos, começando com Kurt Russell na pele do sinistro Stuntman Mike, e das belas Vanessa Ferlito, Rose McGowan, Rosario Dawson e Zoe Bell (dublê de Uma Thurman e que se mostrou uma boa atriz) mas cansa o espectador com uma história fraca e longas cenas de diálogos banais que poderiam ser facilmente excluídas e que acabam deixando o filme monótono e sonolento.

De bom mesmo só a perseguição de carro no fim do filme, a trilha sonora e a exuberante Lap Dance da Vanessa Ferlito.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Action Figures - Mötley Crüe

Mötley Crüe - Shout At The Devil
Fabricante: McFarlane Toys
Escala:7'' ou 18cm
Lançamento:Agosto de 2005
Preço Médio: US$ 35.00 a US$50.00 cada figura

Set Completo



As figuras da McToys são baseadas na banda California de Hard Rock, Mötley Crüe, formada em 1981 pelo baixista Nikki Sixx e o baterista Tommy Lee, na fase do álbum "Shout At The Devil", que apresenta hits de alto nível como "Looks That Kill", "Ten Seconds To Love" e "Too Young To Fall In Love".

Infelizmente a banda não é muito conhecida no Brasil, mas é um ícone do Hard Rock em solo americano, sendo considerada uma das maiores bandas no estilo e também de sua época, desbancando nomes como Guns N'Roses, Poison, Warrant e outras do gênero, lotando arenas mais de 25 anos depois de sua formação. Pra quem curte Hard Rock e não conhece a banda, acho que vale a pena dar uma conferida no som, pelo menos alguma das coletâneas, pois é bem acima da média da maioria de bandas de Hard Rock.

Em relação as figuras, certamente são indicadas principalmente para os fãs da banda, mas acredito que todos os colecionadores de AFs em geral podem curtir, principalmente pela qualidade da reprodução e fidelidade aos músicos.


1980's



Espero que curtam o review e as figuras

Embalagem
Vamos fazer diferente e começar falando sobre a parte gráfica:
No frontal, tonalidades em preto e branco, com a foto do respectivo músico e seu nome em vermelho e o logo da banda conforme o utilizado na época (1983), também na cor vermelha. No verso, a foto em cores do set completo.

Além de cada músico e seus instrumentos, cada integrante vem com uma parte do set da bateria, que diga-se de passagem são de plástico e bem frágeis. Aí entramos no quesito "proteção" da embalagem, que se encaixa no padrão McToys de sempre...figura super bem protegida, diria até que com excesso de arames e fitas adesivas, mas que garantem a segurança das figuras e das peças da bateria.




Vale lembrar que comprei minhas figuras separadamente mas elas também são vendidas no box de luxo com o palco original que inclui um Gongo.


Escultura
Esculturas mais que perfeitas, retratando com fidelidade a fisionomia e o visual dos músicos na arte do albúm "Shout At The Devil", figurino, maquiagem e cabeleiras!!! Comparem as figuras com a foto real da banda para perceberem a fidelidade na reprodução das roupas e maquiagens. Outro aspecto positivo foi em relação as fotos promocionais, já que o produto final ficou bem fiel aos apresentados nas fotos.



Pintura
A pintura é excepcional nas 4 figuras em todos os seus aspectos e em seus respectivos instrumentos. Reparem que na parte de trás da Les Paul está pintado o nome do guitarrista.O que mais me chamou a atenção foi um detalhe muito interessante...olhando de perto (confira as fotos em close-up) nota-se que o rosto é levemente esbranquiçado, simulando o uso do "pó-de-arroz", exatamente igual ao que é percebido na arte, em especial, da contra-capa do álbum SATD.
Enfim, a pintura dispensa maiores comentários...Basta conferir as fotos por si só.

Vince


Nikki


Mick


Tommy


Articulações
Mesmo problema de sempre...eu vejo a coisa da seguinte forma: Se é AF, tem articulações. Se é estátua não tem. Ponto.
Acho que seria mais fácil ter feito como é feito atualmente na série do Bon Jovi, Godfather, etc..absolutamente nenhuma articulação. São estátuas e pronto. As figuras possuem articulações mínimas que não alteram em nada a pose e por muitas vezes são praticamente inúteis. vamos conferir um a um:

Vince
Movimentos giratórios nos punhos e na junção dos adereços do braço. Dá pra movimentar o pedestal, o microfone, mas sem grandes mudanças...Tem um ponto no pescoço que quase não dá pra mexer...


Mick
Um ponto no pescoço (inútil) e na junção das botas. Não dá pra variar na pose mas ajuda a posicionar a figura.


Nikki
Um ponto no pescoço e outro giratório nos braços, na altura dos cotovelos, que só ajuda a movimentar um pouco o baixo.


Tommy
Um ponto no pescoço, na cintura e outro próximo aos ombros, na altura das tatuagens. (Inútil)


Acessórios
Como não poderia deixar de ser, o essencial para os músicos são seus instrumentos e aqui a reprodução é PERFEITA!!! Além dos respectivos instrumentos, as figuras vem com uma base padrão, já com a furação correspondente de cada integrante para sustentar as figuras de pé. (Não se sustentam sem a base)
Uma observação: A furação existente no palco vendido no box é diferente das apresentadas nas bases individuais.

Vince - Microfone com fio de nylon e pedestal (plástico) decorado (emborrachado)


Mick - Guitarra Gibson Les Paul



Nikki - Baixo Gibson Thunderbird


Tommy Lee - Bateria DW, pratos Zildjian e baquetas Ahead
Drum Kit Completo com 2 Bumbos e pedais, 2 tom-tons, 1 surdo, 1 caixa; Jogo de Pratos, Tripés e pedestais (PRATOS DE ATAQUE, CHIMBAL, CHINÊS, SPLASH); e o Banquinho.


Nota Geral
Mesmo com articulações precárias, me vi obrigado a dar nota máxima, em vista que, uma vez exposto o set não tem mais o que se mexer. Vale lembrar que as figuras da banda estão cada vez mais raras e caras. Set obrigatório para os fãs da banda!!! E mesmo aqueles que não são fãs, estão arriscados a ver as figuras ao vivo e ficarem com aquela vontade de comprar e colocar na estante!!! Quem curte hard Rock e não conhece, ouvir urgente!!!!



Página oficial McFarlane Mötley Crüe: http://www.spawn.com/toys/series.aspx?series=295

terça-feira, 13 de julho de 2010

Dia Mundial do Rock

Hoje é dia 13 de julho!!!! E daí? Hoje é o Dia Mundial do Rock. Sabe desde quando se comemora esta data? Desde 1985.

Muito mais do que um simples estilo musical, o Rock foi eternizado, em 13 de Julho de 1985, um dia marcado pela atitude, pela força de expressão e vontade de mudar o mundo. Tudo quando Bob Geldof, criador do Live Aid, um dos festivais de rock mais emblemáticos de todos os tempos, reuniu os mais famosos e importantes artistas da época, que se engajaram em um ideal comum: O fim da fome na Etiópia. Desse dia em diante, o dia 13 de julho ficou conhecido como o dia mundial do rock.

Realizado simultaneamente nos EUA e na Inglaterra, graças a iniciativa do Live Aid que arrecadou mais de 60 milhões de dólares que foram doados em prol dos famintos na África, os olhos do mundo passaram a dar mais importância a um dos maiores problemas da humanidade, a miséria e a fome.

Participaram do Live Aid grandes nomes como Black Sabbath (com Ozzy), Status Quo, INXS, Loudness, Mick Jagger, David Bowie, Dire Straits, Queen, Judas Priest, Bob Dylan, Duran Duran, Santana, The Who e Phil Collins entre muitos outros.



Em homenagem ao DIA MUNDIAL DO ROCK, o Rodz Online preparou a trilha sonora oficial e mais que especial do dia com as melhores bandas do estilo. Mais Rock N' Roll IMPOSSÍVEL!!!!

Led Zeppelin - Rock N' Roll
Kiss - Detroit Rock City
Judas Priest - Living After Midnight
AC/DC - Jailbreak
Rolling Stones - Satisfaction
Black Sabbath - Heaven and Hell
Queen - I Want to Break Free
Motorhead - Ace of Spades
Deep Purple - Smoke on The Water
Twisted Sister - I Wanna Rock



















segunda-feira, 12 de julho de 2010

20 Questões de "Sim" ou "Não"

20 questões de "Sim" ou "Não" respondidas por Ron McGovney, baixista original dos primórdios do Metallica.

É verdade que você era amigo de James Hetfield já em 1977 e Lars Ulrich só o conheceu pela primeira vez em 1981? Sim

James e você formaram uma banda chamada Leather Charm em 1981 na mesma garagem que o Metallica surgiu? Sim

É verdade que 'Hit the Lights' era uma música do Leather Charm? Sim

'No Remorse' é uma música composta por riffs de músicas do Leather Charm? Sim

Lars Ulrich foi encontrado através de um anúncio de bateirista no 'Recycler'? Não

Dave Mustaine foi encontrado através de um anúncio de guitarrista no 'Recycler'? Sim

É verdade que você fez arranjou riffs em músicas do Metallica que nunca lhe creditaram? Sim

Brad Parker esteve na banda por cerca de 3 semanas e tocou em um show. É verdade? Sim

Você foi chutado do Metallica, não foi? Não

Dave Mustaine tocou guitarra e Cliff Burton tocou baixo no Metallica na mesma época. Isto é obviamente mais tempo do que Dave e Ron tocaram juntos no Metallica, certo? Não

Dave Mustaine esteve na banda por apenas 3 meses a mais que você na banda? Sim



Você tocou todas as músicas que estão no 'Kill'em All' ao vivo? Sim

Cliff Burton o viu tocando com o Metallica? Sim

É verdade que Kirk Hammett veio até você e disse o quão bom o Metallica era? Sim

Cliff Burton tocou na demo 'No Life 'Til Leather'? Não



Cliff Burton estava na banda em qualquer um dos vários shows do Metallica em 1982? Não

Você, James e Dave já brigaram fisicamente? Sim

Você era na verdade um fã de Motley Crue naquela época. Você já matou ensaios do Metallica para ver o Crue tocar ao vivo? Sim

Motley Crue teve algum papel em ajudar vocês a tocarem como banda de abertura para o Saxon no Whisky-a-Go-Go? Sim

Você já pensou alguma vez que seu melhor amigo James Hetfield iria dar as costas a você recentemente como ele fez em 1982? Não"

Abaixo vcs conferem uma versão raríssima da música "Hit The Lights", presente na primeira demo do Metallica, 'No Life'Til Leather', gravada em junho de 1982.
Vocais/guitarras: James Hetfield
Bateria: Lars Ulrich
Baixo: Ron Mcgovney
Guitarra solo: Dave Mustaine (Megadeth)

sábado, 10 de julho de 2010

Ratt - Out of the Cellar

Direto das calçadas de Hollywood, no início dos anos 80, o glam metal era um resultado da energia do heavy metal, da purpurina da MTV e dos requintes do Hard Rock. De certa forma, todos que estavam tocando um metal leve com suas guitarras pink e se travestindo, inevitavelmente acabariam sendo abençoados pela luz do estrelato.

Uma das bandas que se deu muito bem nessa onda foi o Ratt. Formado em 1978 na California (EUA), a banda que originalmente se chamava Mickey Ratt, tinha em sua formação Stephen Pearcy nos vocais, Robbin Crosby e Warren De Matini nas guitarra, Juan Croucier no baixo e Bobby Blotzer na bateria.



Em 1983, após mudarem o nome da banda para Ratt, lançaram seu primeiro EP independente e auto-intitulado, e foi esse EP que chamou a atenção da gravadora Atlantic Records, que malandramente, assinou com a banda e lançou em 1984 o album "Out of Cellar". Na turnê deste álbum o Ratt chegou a fazer 320 shows em 14 meses. O album foi sucesso absoluto e vendeu mais de 3 milhões de cópias, devidamente embaladas pelo single "Round and Round" que virou mania na MTV norte-americana.



Os albuns seguintes, "Invasion of Your Privacy" e "Dancing Undercover", apesar de não obterem a mesma vendagem do album anterior, chegaram a marca de 2 milhões de cópias, mantendo o alto status da banda e garantindo o posto de banda de abertura durante toda a turnê do Bon Jovi em 1986.

A decadência do Ratt começou após o lançamento de "Detonator", de 1990. O Hard Rock começava a apresentar sinais de fraqueza e a "onda grunge" ficava cada dia mais forte. Com isso as bandas do gênero foram perdendo espaço na mídia. Com os albuns vendendo cada vez menos e o grunge dominando a cena, os problemas internos do Ratt se agravaram e a banda iniciou sua ruína.

Em 1992 Stephen Pearcy abandonou o barco e em 1994 Robbin Crosby descobriu que estava com AIDS. Depois disso, Pearcy retornou ao Ratt em 1997, onde lançaram dois trabalhos bem fracos no período de 2 anos, antes de Percy deixar a banda novamente e iniciar uma briga judicial contra os outros integrantes pelo nome Ratt. Briga alias que custou caro ao vocalista, já que em 2002, ele perdeu o direito sobre o nome do Ratt.

Mesmo sem Pearcy nos vocais, aos trancos e barrancos, o Ratt seguiu em frente com formações diferentes (inclusive com John Corabi, ex-Mötley Crüe, nas guitarras) e saiu em turnê ao lado do Warrant, Dokken, Slaughter e L.A. Guns. Ainda no ano de 2002, o guitarrista original Robbin Crosby morreu de overdose de heroína (e não de AIDS como costumam dizer, embora ele tivesse admitido publicamente ter a doença) em seu apartamento em Hollywood.

Apesar de terem feito um sucesso estrondoso na década de 80, um ponto que mancha a reputação do Ratt é que, não só eles como também o Dokken, chegaram a assumir publicamente que em determinado momento de suas carreiras, faziam música sem sentimento e com precisão cirúrgica, visando apenas criarem singles de sucesso por causa da grana e das mulheres, o que é uma vergonha para os verdadeiros amantes da música.


O melhor trabalho do Ratt na minha opinião é sem dúvida o seu debut, "Out of The Cellar".
As Hair Bands nunca foram muito respeitadas no mundo do metal, mas somado ao fato das músicas cativantes e com refrões grudentos, o Ratt, que sempre contou com músicos muito talentosos e virtuosos, teve papel fundamental na cena do Hard Rock hollywoodiano.

O vídeo clip de "Round and Round" é um dos mais clássicos da história da MTV americana em tempos de glam. "Wanted Man", "The Morning After" e "Lack of Communication" são músicas que se destacam no play. É uma grande banda do gênero, com muitos fãs até os dias de hoje apesar de não fazerem nem uma ponta do sucesso que fizeram nos anos 80.




1. Wanted Man
2. You're in Trouble
3. Round and Round
4. In Your Direction
5. She Wants Money
6. Lack of Communication
7. Back for More
8. Morning After, The
9. I'm Insane
10. Scene of the Crime
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...