domingo, 28 de agosto de 2011

UFC RIO - 27 de agosto de 2011

Eu não podia deixar passar em branco a sensacional noite de ontem, 27 de agosto, com o fantástico UFC RIO, que marcou a volta do Ultimate Fighting Championship ao Brasil após a distante edição em São Paulo, em 1998. Todo mundo já deve saber dos resultados (caso alguém ainda não saiba, só ver mais abaixo) mas queria destacar aqui a supremacia brazuca no evento. Das 12 lutas, 8 foram de brasileiros contra estrangeiros, e o placar foi 7 a 1 para o Brasil. Apenas o lutador Luiz Cane não conseguiu ganhar, apesar de estar fazendo uma boa apresentação até ser nocauteado.

Anderson Silva fez o que todo mundo já sabia que iria acontecer... deu show e massacrou o japa. Já Shogun me surpreendeu. Não que eu não acreditasse em sua vitória, mas simplesmente por massacrar o gringo Forrest Griffin ainda no primeiro round. Esperava que a luta fosse até o último em um duelo duro. Já minha grande alegria da noite foi a vitória da lenda, Rodrigo Minotauro. Depois de 18 meses ausente do octogon e de três cirurgias, Minotauro levantou a torcida que lotou a Arena da Barra ao não tomar conhecimento do americano Brendan Schaub, partir pra cima e vencer por nocaute uma das mais lutas mais aguardadas do UFC Rio. A vitória do baiano ainda rendeu o prêmio de melhor KO da noite. Brendan Schaub explorou sua velocidade e chegou a acertar alguns socos que balançaram o brasileiro, mas com a resistência habitual, Minotauro continuou indo pra cima e com dois diretos de esquerda e direita, fez o americano beijar a lona, obrigando o árbitro Herb Dean a encerrar a luta, declarando vitória por nocaute. Magistral!!!





Card principal

Anderson Silva venceu Yushin Okami por nocaute técnico (2m04s do round 2)
Mauricio Shogun venceu Forrest Griffin por nocaute (1m53s do round 1)
Edson Barboza venceu Ross Pearson na decisão dividida dos juízes
Rodrigo Minotauro venceu Brendan Schaub por nocaute (3m09s do round 1)
Stanislav Nedkov venceu Luiz "Banha" por nocaute técnico (4m20s do round 1)


Card preliminar

Thiago Tavares venceu Spencer Fisher por nocaute técnico (2m51s do round 2)
Rousimar "Toquinho" venceu Dan Miller na decisão unânime dos juízes
Paulo Thiago venceu David Mitchell na decisão unânime dos juízes
Raphael Assunção venceu Johnny Eduardo na decision unânime dos juízes
Erick Silva venceu Luis Ramos por nocaute técnico (40 segundos do round 1)
Yuri "Marajó" venceu Felipe Sertanejo na decisão unânime dos árbitros
Yves Jabouin venceu Ian Loveland na decisão dividida dos juízes

sábado, 27 de agosto de 2011

KISS - As 10 Canções Mais Demoníacas de Gene Simmons


Apesar de ser uma banda que passou bastante tempo se desassociando de uma eventual imagem satânica, certas músicas do KISS, mostram todo lado demoníaco do fundador, baixista e patrão Gene Simmons. Sendo assim, com vcs, as 10 Canções Mais Demoníacas de Gene Simmons:

10. "Not for the Innocent" - álbum: Lick it Up (1983)
“Bad habits drip like honey / No tongue can lick me clean”
(Maus hábitos pingam como mel, nenhuma língua pode me lamber)

9. "Mr. Blackwell" - álbum: Music from the Elder (1981)
“I am a sinner who just loves to sin”
(Sou um pecador que apenas ama pecar)

8. "Rock and Roll Hell" - álbum Creatures of the Night (1982)
“There ain't nobody gonna tell him what to do”
(Não haverá ninguém que lhe dirá o que fazer)

7. "Goin' Blind" - álbum: Hotter Than Hell (1974)
“I'm 93, You're 16….”
(Eu estou com 93, você tem dezesseis)

6. "I Love It Loud" - álbum: Creatures of the Night (1982)
“Two-fisted, till the very end!”
(Com dois punhos até o fim)

5. "Almost Human" - álbum: Love Gun (1977)
“The moon is out, I think I'm gonna change…”
(A lua está fora, eu penso que eu vou mudar)

4. "War Machine" - álbum: Creatures of the Night (1982)
“Set the demons free, and watch them fly!”
(Libertar os demônios e os assistir voar)

3. "Unholy" - álbum: Revenge (1992)
“I'm the infection and famine that's knocking at your door.”
(Eu sou a infecção e a doença que está batendo em sua porta)

2. "Watchin' You" - álbum: Hotter Than Hell (1974) e Alive! (1975)
“And I'm trying baby, trying not to stare”
(Estou tentando, baby, não ficar encarando)

1. "God of Thunder" - álbum: Destroyer (1976)
“I gather darkness to please me, and I command you to kneel!”
(Eu me uno à escuridão para me satisfazer e eu ordeno que você se ajoelhe perante ao ...)

Fonte desta matéria (em inglês): ultimateclassicrock.com

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Bon Jovi - Slippery When Wet 25 Anos


Semana passada o Bon Jovi comemorou 25 anos do clássico album e um de seus maiores sucessos: Slippery When Wet. Depois do fracasso comercial de 7800° Fahrenheit, o Bon Jovi já acumulava dois lançamentos (O primeiro album homônimo de 1984 e 7800° Fahrenheit de 1985) sem muito impacto comercial, o que já foi o suficiente pra garantir umas dívidas e não permitir que banda rendesse algum dinheiro. Sem muitas alternativas, Jon e Richie resolveram seguir um conselho de Gene Simmons e Paul Stanley (KISS) e contrataram os serviços do hitmaker Desmond Child para as composições. Os primeiros hits a saírem do forno foram Livin’ On A Prayer, Wanted Dead Or Alive e You Give Love A Bad Name, futuros clássicos da banda.

Depois que as composições estavam todas prontas, a banda aportou em Vancouver no Canadá, no Little Mountain Studio, onde o produtor Bruce Fairbarn, juntamente com Bob Rock (que produziu o álbum Keep The Faith, 1992), que foi o engenheiro de som e responsável pela mixagem de Slippery, aguardavam o Bon Jovi. Um detalhe curioso é que durante as sessões de estúdio, Jon Bon Jovi cogitou não colocar Livin’ On A Prayer no album, por não acreditar que a música tinha potencial para se tornar um hit. Coube então ao guitar hero, Richie Sambora, convencer o vocalista do contrário. Como bem sabemos, deu certo e a canção se tornou o maior hit da banda.

O primeiro single do album, You Give Love A Bad Name , foi lançado em 23 de julho de 1986 e logo estourou nas paradas americanas, subindo freneticamente para o número 1 das paradas Hot 100 da Billboard. De banda de abertura do Kiss, o Bon Jovi conseguiu alcançar sucesso para vender sua própria turnê como banda principal. Com uma tour de headliner agendada, em 18 de agosto do mesmo ano, Slippery When Wet chegou as prateleiras e se acomodou nas paradas de sucesso entre 1986 e 1987, colocando nada mais nada menos que 4 singles entre os 10 primeiros. A façanha garantiu ao Bon Jovi a honra de ser a primeira banda de hard rock a emplacar dois singles consecutivos em primeiro lugar nas paradas norte-americanas.

O segundo single a ser lançado foi justamente a música que quase ficou de fora, Livin’ On A Prayer. Não demorou muito para que ela também atingesse o número 1 das paradas. Livin’ On A Prayer tinha um trunfo a mais para favorecer o Bon Jovi. Apesar de ainda ser considerada hard rock, tinha uma sonoridade mais acessível para as rádios e também para a MTV! Aliás, a banda se tornou uma das queridinhas da MTV, que não parava de exibir os vídeos do BJ e aumentaram ainda mais o sucesso da banda.


Outra curiosidade... A capa proposta inicialmente, foi vetada por Jon por 2 motivos: Primeiro porque mostrava a blusa de uma mulher, sugestivamente molhada e com os seios em destaque e segundo porque por conta dessa capa, certamente a banda enfrentaria problemas para vender o album na rede de lojas Wal Mart. Assim sendo, a capa foi alterada para a que conhecemos hoje. Curiosidades a parte, depois de 2 singles o Bon Jovi já contabilizava 28 milhões de cópias vendidas ao redor do mundo e 12 milhões somente nos Estados Unidos, transformando a banda no maior fenômeno comercial do hard rock e firmando o posto de sex symbol do rock para o vocalista Jon Bon Jovi. As gravadoras e a MTV começaram a apostar no filão do Hard Rock e o estilo se firmou como um dos principais da década de 80.


O terceiro single lançado foi Wanted Dead Or Alive, chegou ao número 7 das paradas e se tornou mais um clássico imperdível nos shows da banda. Chegou a ser cogitado que o album se chamasse Wanted Dead Or Alive mas a idéia acabou abolida. O quarto e último single foi Never Say Goodbye, que é na verdade, uma composição sobre a namorada de Jon da época de escola, Dorotéia, que acabou se tornando sua esposa. A composição é uma das clássicas dobradinhas de Jon e Richie e já dava sinais do potencial da dupla para escrever as indefectíveis baladinhas.

Não foi à toa que Slippery When Wet catapultou a banda ao mega estrelato. Além dos singles, o album inteiro é um clássico e conta com ótimas faixas como Let It Rock, I'd Die For You, Raise Your Hands e Wild In The Streets. 25 anos depois, é inegável o que esse album representou para o gênero e para a história do rock. Se você ainda não ouviu, conserte esse pecado e faça-o o mais rápido possível.

Gostou do post? Então dá uma curtida no link do Rodz Online no facebook



segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Capitão América - O Primeiro Vingador (Resenha)


Com um pouco de atraso, vou comentar aqui sobre Capitão América - O Primeiro Vingador, quinto longa da Marvel Studios e também o último que faltava para completar todos os personagens para a a aposta mais arriscada da produtora, o filme dos Vingadores que chega em 2012. A adaptação dos quadrinhos funciona melhor do que um simples filme de super-herói convencional justamente pq o diretor Joe Johnston soube explorar a ambientação na Segunda Guerra Mundial. Apesar de estarmos falando de um filme de aventura, o maestro sabiamente focou o filme na história do personagem central, o patriota Steve Rogers, e o resto só serviu como pano de fundo para o desenrolar da ação.

Aliás, a trama em si é o seguinte, Steve Rogers, um jovem franzino e asmático, que tenta diversas vezes, sem sucesso, se alistar no Exército norte americano durante a Segunda Guerra Mundial após o ataque a Pearl Harbor. A chance de servir ao seu país acaba vindo pelas mãos de um misterioso médico alemão, responsável por um programa clandestino do governo para criar um super soldado. Apesar do sucesso do projeto, um acidente provocado por um espião faz com que Steve seja o único super soldado criado e se torne o Capitão América. Cabe ressaltar que os confrontos entre o Capitão América e seu arqui-inimigo, o Caveira Vermelha (Hugo Weaving), deixam um pouco a desejar e não apresentam desfecho, dando um gancho para uma sequência.

Falando das atuações, Chris Evans, que viveu o Tocha Humana nos dois filmes do Quarteto Fantástico, consegue convercer no papel principal e deixa nítida a sensação de que é seu melhor trabalho como ator até o momento, fazendo a gente esquecer todo seu lado canastrão. O bom elenco conta ainda com Hugo Weaving no papel do Caveira Vermelha e que dispensa maiores comentários, uma vez que já é bem conhecido por suas atuações geniais, Stanley Tucci no papel do Dr. Abraham Erskine e Tommy Lee Jones como General Chester Phillips, responsável pelos poucos, porém bem colocados momentos cômicos.

Destaque para os efeitos especiais e a computação gráfica de grande qualidade, principalmente nas cenas envolvendo o franzino Steve Rogers, que beiram um realismo absurdo. No fim das contas, saldo positivo mais uma vez para a Marvel que com o Capitão América, conseguiu superar a desconfiança dos fãs, apresentando um filme sólido e carismático e que certamente vai agradar aos fãs dos quadrinhos como também ao público em geral, já deixando o palco montado para Os Vingadores.

Não esqueçam a sensacional cena após os créditos!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Steel Panther e Sebastian Bach no House of Blues

A irreverente banda Steel Panther, que faz competentes shows tocando clássicos do hard Rock, recebeu na noite da última segunda-feira [15 de Agosto] na House of Blues em West Hollywood, Califórnia, ninguém menos que o ex-frontman do Skid Row, Sebastian Bach e o cantor de soul Cee Lo Green. Os músicos tocaram alguns hits do Skid Row como ‘Youth Gone Wild’ e ‘I Remember You’, e o clássico do Journey, ‘Don’t Stop Believing’.


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

John Corabi - Homenageando Jani Lane

Antes de mais nada, gostaria de creditar o camarada Wagão do Rock, autor do blog destinado ao John Corabi, pela matéria mais abaixo!


Na última sexta-feira, dia 12 de Agosto de 2011, no último show da turnê com o Cinderella, John Corabi dedicou a canção "Father, Mother, Son" para o vocalista Jani Lane (ex-Warrant), que faleceu no último dia 11. O show aconteceu no House of Blues de Atlantic City, em Nova Jersey.
A necropsia que investiga a causa da morte de Jani Lane, também realizada na última sexta-feira, foi caracterizada como inconclusiva. Familiares e amigos do cantor terão que esperar mais algum tempo até que o resultado dos exames toxicológicos sejam divulgados.

Fiquem com o vídeo da homenagem logo abaixo:




sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Jani Lane, ex-vocalista do Warrrant, é encontrado morto

Nota triste para todos os fãs do hard Rock... Jani Lane, ex-vocalista da lendária banda de glam metal que fez muito sucesso no fim dos anos 80, Warrant, segundo informações da polícia, foi encontrado morto em um quarto do hotel Comfort Inn, Ventura Boulevard, na quarta-feira à tarde, em Woodland Hills, distrito da cidade de Los Angeles. Lane foi declarado morto pelo Corpo de Bombeiros, que atenderam a uma chamada pouco antes de 17h30, no horário local. Lane tinha 47 anos. A causa da morte ainda é desconhecida.



Talvez por conta do alcoolismo, que era uma doença que convivia com ele, e tb pelo ostracismo, Lane tenha pisado fundo demais no acelerador... de qualquer forma, qualquer que seja declarada a causa da morte posteriormente, é uma baixa grande para o hard rock, já que Lane foi um dos principais compositores dos 2 primeiros albuns do Warrant, justamente os que colocaram a banda no topo. A inspiração de Lane foi tão grande que o cara sozinho, escreveu músicas inesquecíveis que certamente serviram de trilha sonora para a vida de muitos fãs.

Fica aqui a homenagem do Rodz Online: R.I.P. Jani Lane. Heaven isn't too far away.

Gostou do post? Então dá uma curtida no link do Rodz Online no facebook


terça-feira, 9 de agosto de 2011

Mötley Crüe - Linha Exclusiva de Jack Daniel's

Lembram que eu postei aqui que o Mötley Crüe fez uma visitinha mês passado à destilaria do whiskey JACK DANIEL’S no Tennessee??? Pois é... nada é por acaso em se tratando de Nikki Sixx e cia. Depois de 30 anos de patrocínio gratuito e informal da banda para com a marca, negócios são negócios e a Jack Daniel's vai lançar uma edição limitada do veneninho com o nome do grupo.





A série inteira será extraída de um mesmo barril, porém com aroma e sabor únicos ao produto.
A destilaria ainda não divulgou quando irá custar essa brincadeira e tão pouco qual será a disponibilidade do item. De qualquer forma, já devem ter alguns fãs mais fanáticos separando uma graninha.



Mötley Crüe em visita à destilaria do whiskey JACK DANIEL’S no Tennessee, em Julho de 2011



Fonte: Newsletter da destilaria

Gostou do post? Então dá uma curtida no link do Rodz Online no facebook

domingo, 7 de agosto de 2011

O Mito da Tatuagem - Par ou Ímpar?

Antes mesmo de fazer minha primeira tatuagem eu já ouvia falar sobre essa lenda de tatuagem par e ímpar. Reparei também que essa mitologia é variável de uma região pra outra. Aqui no Rio de Janeiro por exemplo, aqueles que acreditam nessa mística, pregam que não se deve ter tatuagens em número par. A verdade é que existem milhares de opiniões mas nada de concreto e cientificamente comprovado.

Depois de algumas pesquisas, descobri que esse mito surgiu há muitos anos atrás, graças as histórias contadas pelos percursores da tatuagem artística, os marinheiros. Tudo começou da relação com o numero (666), pelo fato de ser uma seqüência de 3 números e representar o número da besta. Os Marinheiros contavam que em determinada ocasião um navio pirata naufragou e todos que tinham tatuagens em números ímpares morreram. O causo instaurou muito temor entre os viajantes do mar e por conhecerem diversas nações, os marinheiros se encarregaram de disseminar essa lenda.

A cidade portuária de Nova Orleans, nos Estados Unidos, foi pioneira da era da “Tatuagem Artística”, ou seja, da tatuagem feita com maquina elétrica. Foi lá que surgiram os primeiros estúdios de tatuagem, e foi lá também que os tatuadores, devido a baixa procura por novas tatuagens, começaram a espalhar para os marinheiros essa lenda dos Piratas que morreram com tatuagens ímpares, no intuito de quem tivesse somente uma tatuagem, fizesse mais uma para sair do misticismo, e assim eles fariam mais uma tatuagem naquela pessoa e aumentariam a clientela.

Marketing puro né? E a jogada foi tão boa que depois de algum tempo os caras lançavam rumores justamente ao contrário: Que não poderia é ter tatuagens em números pares e assim o ciclo se iniciava novamente. Pra mim esse papo de par ou ímpar é tudo pura superstição. Tenho duas e farei quantas eu me interessar, independente de ser par ou ímpar, já que não existe ninguém que tenha provado todo esse misticismo. Discutir tatuagens em número par ou ímpar é a mesma coisa que discutir o sexo dos anjos... aliás, um anjo é masculino ou feminino?


Gostou do post? Então dá uma curtida no link do Rodz Online no facebook.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Superman (Man of Steel) - Divulgada Primeira imagem Oficial

A Warner Bros. e a Legendary Pictures divulgaram a primeira foto oficial de Superman - O Homem de Aço (Man of Steel). O protagonista Henry Cavill já ostenta o manto sagrado, digo, o uniforme tradicional, à frente do que aparenta ser um enorme cofre sendo destruído. Diferente de outras versões cinematográficas do personagem, a vestimenta tem a aparência de uma armadura. As cores também parecem ser mais escuras do que os tons de azul e vermelho utilizados por Brandon Routh, em 'Superman - O Retorno' (2006). Superman - O Homem de Aço foi escrito por David Goyer baseado em uma história desenvolvida pelo próprio e por Christopher Nolan, produtor do filme. Eu curti o uniforme. Finalmente colocaram o símbolo grande no peito, diferente daquele minúsculo de 2006. Vamos ver a reação dos fãs...

Além de Henry Cavill (Superman) o elenco conta com Amy Adams (Lois Lane), Michael Shannon (General Zod), Antje Traue (Faora), Diane Lane (Martha Kent), Kevin Costner (Jonathan Kent), Julia Ormond (Lara), Russell Crowe (Jor-El), Harry Lennix (General Swanwick), Laurence Fishburne (Perry White) e Christopher Meloni. O filme tem estréia prevista somente para 14 de junho de 2013.


quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Sebastian Bach - Vídeo de Kicking & Screaming


O novo album solo do eterno ex-vocalista do Skid Row, Sebastian Bach, "Kicking & Screaming", só será lançado pela gravadora Frontiers Records no dia 27 de Setembro mas a revista americana REVOLVER se encarregou se lançar em primeira mão o vídeo da faixa-título do album, muito boa por sinal. Sebastian será capa da publicação que chega às bancas dos EUA no dia 16 de Agosto.

Confiram o vídeo:

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Nikki Sixx - Melhor Pulo sobre Cinegrafista Amador


O tempo passa, o tempo voa, e o fanfarrão e baixista do MÖTLEY CRÜE, Nikki Sixx, continua aprontando das suas... a última foi no último fim de semana, sábado, dia 30 de julho de 2011, quando Sixx resolveu pular para o público, tudo pq um fã estava filmando o show, aparentemente com uma câmera profissional, o que deixou Sixx irritadinho.

O incidente ocorreu na apresentação de Outlaw Jam em Frederick Fairgrounds em Frederick, Maryland - USA. O Mötley Crüe parou de tocar enquanto os seguranças tentavam puxar Sixx de volta para o palco. Obviamente a câmera foi tomada de seu proprietário.

Nikki Sixx deveria levar o prêmio na categoria melhor pulo sobre cinegrafista amador. Fala sério hein, Nikki Sixx?



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...